Feeds:
Posts
Comentários

Archive for novembro \26\UTC 2011

Quando se fala em Cleópatra, a primeira imagem que vem à mente de muita gente (a minha, inclusive) é a bela figura de Elizabeth Taylor no filme Cleópatra, dirigido por Joseph L. Mankiewicz. Liz Taylor, com seus lindíssimos olhos violeta, não tinha nenhuma semelhança física com a rainha egípcia. Aliás, não se tem uma imagem real da face desta mulher que governou uma grande nação e conquistou o coração dos dois homens mais importantes de seu tempo: Júlio Cesar e Marco Antônio. Segundo as más línguas outros tantos compartilharam seu leito… Até mesmo as moedas cunhadas em sua homenagem não revelam muito sobre seu aspecto (beleza ou feiúra). Alguns dizem que de bela não tinha nada, mas era ótima oradora, falava oito idiomas, governava mais de sete milhões de pessoas e tinha uma fortuna invejada. Muitos outros mitos foram se acumulando ao seu redor após sua morte e ninguém sabe dizer, com precisão, hoje em dia o que é fato ou o que é lenda. De certo mesmo é que Cleópatra virou filme (em inúmeras versões e intérpretes), peça de teatro e tema de outros tantos escritores em livros e mais livros.

A última versão disponível no mercado atualmente é Cleópatra – Uma Biografia, de Stacy Schiff que fez uma pesquisa de mais de cinco anos na bibliografia e documentos existentes sobre esta inesquecível rainha. Muito dos materiais pesquisados é falho ou antagônico… Vários autores e muitas versões… O que é mito e o que é fato? A própria autora revela a sua dificuldade em escrever esta biografia:

Nenhum papiro sobreviveu em Alexandria. Tito Lívio terminou seu relato sobre Roma cem anos antes do nascimento de Cleópatra. Plutarco, que foi uma das melhores fontes sobre ela, só nasceu 76 anos depois de sua morte. Apiano só começou a escrever sobre Cleópatra um século depois; Dio, dois séculos depois. Lucano era poeta demais e pendia nitidamente para o sensacionalismo.”

Assim, é fácil perceber a dificuldade enfrentada por Stacy para escrever seu livro. Vários mitos vieram abaixo nesta obra. O cinema, como não poderia deixar de ser, apresentou uma Cleópatra muito bem maquiada, cabelos penteadíssimos e repleta de jóias no primeiro encontro com Júlio César. Nada mais falso. Ah sim… Ela não entrou nos aposentos do Imperador enrolada num belo tapete. Este é outro mito cinematográfico. Ela foi apresentada a Júlio César (aos 21 anos) vestida com uma simples túnica de linho sem cores, adornos ou manga e, com certeza, descabeladíssima e sem nenhuma de suas caras jóias. Ela foi introduzida nos aposentos do Imperador por um de seus amigos dentro de um saco de viagem de carregar alimentos. Outro mito que caiu por terra foi a maneira como Cleópatra teria dado fim a própria vida. Dificilmente ela morreu por mordida de cobra. Provavelmente ela e suas duas criadas tomaram algum veneno. O mito se deve mais a Otaviano (que venceu Marco Antonio – e Cleópatra – na guerra pelo domínio do império romano) que introduziu a representação da tal cobra no cortejo de vitória em Roma.

Estes e outros  mitos são derrubados por Stacy Schiff  nas 320 páginas desta biografia que, certamente, não será a última e nem a definitiva. De qualquer forma, é um livro interessante e recomendado para quem já tem algum conhecimento prévio sobre o Egito Antigo, Roma dos Imperadores e tudo mais. Muita informação reunida, muitos personagens, muitos mitos desmistificados, muitas versões do mesmo fato. Só para amantes do assunto e para alguém que está disposto a entender um pouco mais esta mulher fascinante.

Só pra constar: Angelina Jolie será a próxima Cleópatra que Hollywood vai produzir com base nos dados deste livro. Assim é a vida… Cada um tem a Cleópatra que merece (risos).

Quero agradecer a minha amiga Regina Soares o empréstimo deste livro.  Aliás, ela sempre me estende um ótimo livro nos momentos mais desesperadores em que fico sem livro para ler.

Obrigado, querida!

Read Full Post »

Imagine uma vaca caindo do céu e destruindo o seu barco no exato momento em que você está prestes a pedir a mão da sua amada em casamento. Pois é…  Coisas estranhas acontecem sem qualquer explicação lógica. Pois foi exatamente o que aconteceu com Jun (Ignacio Huang) na China. Mas esta é só a primeira cena de um filme encantador, trágico e, porque não dizer, muito engraçado chamado Um Conto Chinês, uma produção Argentina/Espanha com direção de Sebastián Borensztein. Não tem como não rir das situações hilárias que Jun vai passar quando for procurar seu tio no outro lado do mundo. Mas ele ainda não sabe nada disso… O espectador presente que esta história ainda vai render outras tantas confusões (não, não sou o redator que faz as chamadas da Sessão da Tarde da Rede Globo) quando na cena seguinte a esta tragédia, a cena começa de cabeça para baixo e vai, aos poucos, invertendo sua posição à posição normal da câmera e focaliza a entrada de uma pacata ferragem na Argentina.

Roberto (Ricardo Darin) é um pacato, metódico, mal-humorado e solitário dono de uma ferragem que, nem em um milhão de anos, imaginaria que sua vida vai dar uma volta de 360 graus. Aliás, não foi à toa que uma vaca que caiu do céu na China teria conseqüências na sua vida em particular na distante Argentina. Para quem colecionava tragédias e histórias pitorescas de vários jornais, Roberto deveria prever que algum dia ele também seria personagem de algo insólito e inexplicável. Mas ele ainda também não sabe nada disso…

Ricardo Darin como Roberto

Quando Roberto encontra Jun os destinos destes dois personagens se entrelaçam irremediavelmente. Além da dificuldade de comunicação, Roberto não está disposto a dividir seu espaço com uma pessoa, muito menos com um chinês de quem não entende patavina. Sua vida é uma rotina de verificar se a quantidade de pregos na caixa está correta e a proclamar sua frase favorita “puta-que-pariu”. Também não está disposto a mudar de hábito de deitar-se e apagar a luz exatamente às 23:00h. Todavia, o comerciante é um sujeito de bom coração e não consegue deixar de acolher Jun em sua casa até que este possa localizar seu tio. Na Delegacia só consegue indispor-se com a lei. No bairro Chinês ninguém conhece o tal parente do jovem e na embaixada a burocracia é tanta que acaba sendo despejado do prédio sem a solução de seu problema. O desespero vai aumentando e a bondade agora tem prazo fixo para acabar: Sete dias. Marcado religiosamente na folinha afixada na porta da geladeira a cada novo dia!

Ricardo Darin e Ignacio Huang - Roberto e Jun respectivamente

Assim, nesta convivência problemática, muda, gestual e desesperadora, vão vivendo o solitário e carrancudo Roberto e o desesperado Jun. As situações que ambos se envolvem nesta busca (Jun procurando recomeçar a vida e Roberto tentando recuperar sua metódica solidão) são patéticas, engraçadas e, por vezes, comoventes. A trilha sonora se encarrega de criar ambientes propícios para levar o espectador a entrar no clima destas situações. Ricardo Darin mais uma vez prova ser um excelente ator e Ignacio Huang não compromete muito na pele de Jun. Claro que esta aproximação, a princípio insólita e sem propósito, tem um significado moral (no sentido de um propósito) e nos ajudam a refletir sobre o nosso destino e o nosso livre arbítrio de mudá-lo (ou não).

Vale à pena conferir este Um Conto Chinês. Talvez você também encontre uma razão para acreditar que o universo – de alguma forma – conspira a seu favor ou que a sua vida tem um propósito muito além do seu próprio umbigo.

Read Full Post »

É um orgulho ver meu filho viajando pelo mundo defendendo o meio ambiente e lutando para tornar este planeta cada vez mais azul. Mas a saudade é grande!

Parabéns, meu filho!

Adriano Augusto no Chile (barbudo de casaco azul hehehehe)

Te cuida, guri!!

Read Full Post »

Veja abaixo a relação dos 20 Filmes Mais Locados em Outubro 2011 na Moviola Vídeo:

1º Caça às Bruxas

2º As Mães de Chico Xavier

3º Bruna Surfistinha

4º Transformes - O Lado Oculto da Lua

5º De Pernas Pro Ar

6º Besouro Verde

7º Invasão dos Mundos - Batalha de Los Angeles

8º Thor

9º Deime-me Entrar

10º Os Pinguins do Papai

11º O 13 Jogador

12º Esposa de Mentirinha

13º X-Men - Primeira Classe

15º Skyline - A Invasão

 

15º Splice - Uma Nova Espécie

16º A Garota da Capa Vermelha

17º O Ritual

18º Fúria Sobre Rodas

19º Água Para Elefantes

20º 72 Horas

Read Full Post »